A consequencia do nosso orgulho.

Nesse capítulo, eu vou mostrar que acontece com a gente, quando o nosso orgulho diante de Deus, toma conta da nossa personalidade. Quando adotamos uma atitude de orgulho em relação a Deus, nos recusando entrar em contato com o divino, mesmo que a nossa mente nos aponte a necessidade de se buscar algo maior em nossas vidas, isso nos conduz a um processo de abandono de tudo o que é espiritual, nos levando a valorizar o nosso contato com o mundo material. Isso se traduz em três atitudes:

- A primeira que é valorização dos valores sociais em demasia. Queremos estar ligado no que a sociedade pensa de nós, e nos sentimos inferiorizados quando não conseguimos nos destacar nela. Concordamos com tudo que ela dita, e ficamos felizes em reproduzir seus valores, nos tornando uma espécie de robô. Nos tornamos seres facilmente influenciáveis e ficamos felizes quando pertencemos à maioria. O maior crime para nós e ser ridicularizado em público, não importando se sua atitude foi verdadeira ou falsa. Criamos um comportamento de manada, e seguimos para onde o rebanho vai, nos tonando seres sem estofo e caráter. É a nossa vaidade que se alimenta da admiração da sociedade, mesmo que ela nos induza a agir contra a razão.

- A segunda, é que valorizamos demais as reações corporais, como a comida, bebida, droga,  sexo.

- A terceira, é que levamos muito em consideração as sugestões negativas que recebemos diretamente do mundo espiritual. Não as rejeitamos de forma automática, e começamos a incorporá-las em nossos raciocínios à medida que elas vão se manifestando em nossas mentes.

Então temos três inimigos do amor de Cristo em nossas vidas: a sociedade com seus falsos valores, o demônio com suas mentiras e o nosso corpo que clama de desejo. Na verdade, perdemos o foco na espiritualidade, e começamos substituí-la pelo o que nos sobra. Nós todos nascemos com um caráter quando nascemos, e somos influenciados pelos nossos pais, cultura, amigos, Deus. E é a nossa obrigação tentar melhorá-lo ao longo da vida, com a incorporação da verdade que vai se revelando à medida que vamos vivendo.

O resultado de se abandonar a procura de Deus, através da religiosidade, é que abandonamos a realidade e ficamos focados somente na nossa fantasia. E a nossa fantasia é sempre voltada para alimentar a nossa fantasia de divindade. Com isso, nós podemos desenvolver  ao longo da nossa vida, três  tipos de fixações que determinam o nosso caráter. A primeira seria a fixação oral, onde se localiza a  da gula e luxúria. A segunda seria a fixação anal, que estaria relacionada com a avareza, e a terceira a fase genital, que estaria relacionado com o narcisismo. Todos nós desenvolvemos características das três, mas sempre tem uma que nos domina. Temos que entender que quando rejeitamos Deus, devido ao nosso orgulho, descambamos automaticamente para essas fixações, que nos levam à tristeza, angústia e decadência tanto espiritual como material.

Nos próximos artigos vou escrever sobre as três atitudes que adotamos em nossas vidas, que são a gula, a avareza e vanglória, conhecidas no meio teológico com filáucia. E sempre vou opor a elas a atitude sadia, caso adotássemos a verdade que seriam nesses casos, que seriam a temperança, a generosidade e a glória verdadeira. Fazendo essa comparação entre a atitude errada e a certa, fica mais fácil perceber como estamos agindo em relação a Deus.

 

 

 

 

You can skip to the end and leave a response. Pinging is currently not allowed.

Leave a Reply